Prancha XVIII

A prancha XXI traz três figuras executadas com técnica de aquarela no tamanho 38cm x 27 cm.  Nela vemos uma mulher branca, descrita no catálogo de 1960 trajando “vestimenta caseira”, que compra leite de um homem escravizado. À direita, uma segunda figura masculina, de cabelos longos, casaca e chapéu, observa a cena.

Figura 01 – Laleska Vieira

A figura representa uma mulher branca comprando leite de um escravo de ganho, com um traje composto de saia e caraco brancos com estampa floral em vermelho e azul, com folhagens verdes. Traja uma camisa branca de tecido fino por baixo do caraco, esta presa com dois broches redondos na altura do decote. Meias brancas, sapatos amarelos de fivela quadrada, típicos do século XVIII, um laço do mesmo tecido do vestido e cordões de miçangas pretas e vermelhas completam o traje, que é uma espécie de vestimenta caseira. Interiormente, acredita-se que ela esteja usando uma chemise (ou camisão), stays (corpinho ou collete) e um bum roll (ou almofada de quadril). 
Pela natureza do traje, de bom corte mas comum às classes trabalhadoras, e sua preocupação com a aparência (usa ruge e apresenta um penteado alto, decorado com um laço), ainda que sem as costumeiras mantilhas e pudores das senhoras casadas descendentes de portugueses, especula-se que esta poderia ser a amásia de um português rico da Colônia ou a esposa de um trabalhador. 

Figura 02 – Pauline Kisner

A figura representa um vendedor ambulante, típico das áreas urbanas de Minas Gerais, comercializando leite. No catálogo original não há qualquer descrição sobre seus trajes. Ele veste um calção branco muito amplo, que é retratado em outras posições e com mais detalhes nas pranchas XXII e XXIV, casaco azul, camisa branca e um cinto preto com uma algibeira decorada em vermelho. O casaco da figura apresenta influência oriental na gola e no transpasse sobre o peito, amarrado com laços contrastantes. A figura usa um chapéu de palha simples, sem decorações aparentes.

Comentários