Tutorial: Anquinhas / Petit Panier (1750-1775)

Por Pauline Kisner

Este tutorial foi originalmente publicado no blog A Modista do Desterro e cedido ao Traje Brasilis pela autora.

O Petit Panier é um conjunto de anquinhas laterais do século 18, próprio para uso com trajes não-formais, que aparece na moda europeia por volta dos anos 1750, permanecendo muito em voga cerca de 1775 (WAUGH,2004) . Ele pode ser usado como armação para o Robe a la Française e também para o Robe a l’Anglaise.

O molde apresentado aqui foi desenvolvido a partir do modelo proposto por Waugh (2004), com base numa peça inglesa da década de 1760. Ele é de um tamanho adequado para quase todos os corpos, mas algumas modificações podem ser necessárias: pessoas altas e vestidos pesados talvez necessitem de um quarto aro e, por uma questão de proporção, pode ser necessário aumentar de 7 a 12cm em cada aro no caso de quadris ou bustos muito volumosos.

MATERIAIS NECESSÁRIOS

2m de tecido firme sem elastano  – algodão era a fibra mais usada, porém linho também é encontrado e algumas lãs mais resistentes dão bons resultados. Cetins encorpados, como o bucol, e os brocados são boas escolhas para versões teatrais, mas não muito indicados para quem não tem firmeza na máquina ou está procurando uma peça historicamente correta.

4m de barbatanas – os materiais mais usados na época eram fibras de madeira e baleína. Bons substitutos modernos são as barbatanas de aço flat/mola, do tipo que se usa em saias de balé. Fitas de vime/junco natural podem ser amarradas e utilizadas nas canaletas, assim como aros de mangueira usados para bambolê.

4m de fita para as canaletas – fita de gorgurão ou cadarço sarjado são opções historicamente corretas. Se você tiver sobra de tecido, pode fazer as canaletas no mesmo material do corpo do panier. Não aconselho usar viés pois ele tende a perder estabilidade com o passar do tempo.

6m de fita – para estabilizar os paniers junto ao corpo.

MOLDE

O petit panier é formado por duas “bolsas” com três barbatanas horizontais cada um. As duas bolsas são unidas através de cordões e possuem aberturas para alcançar os bolsos internos, característicos do século 18. Cada um dos lados do petit panier é formado por três peças: corpo (onde vão as barbatanas), lateral e fundo. Para que o panier tenha o formato correto e sustente o peso das saias, é preciso cortá-lo com essas três partes.

Este molde não serve para impressão e não inclui margens de costura. Ele é apenas uma referência para você desenhar seu próprio molde.

MONTAGEM

PASSO 1 – MARCAÇÕES DO MOLDE

Depois de cortadas as peças, marque a posição das canaletas no corpo do panier (linhas horizontais) e a abertura do bolso (opcional – 13cm). Na canaleta de baixo, é importante deixar 1.5cm de distância da margem, ou você não conseguirá costurar o fundo.

Para riscar eu uso uma caneta especial, que desaparece do tecido com o calor do ferro de passar.

PASSO 2 – ABERTURA DO BOLSO

Vamos preparar a abertura do bolso. Embora esse passo seja opcional, ele te dá uma das características mais interessantes dos trajes do século 18, que são os bolsos internos.

Corte a abertura do bolso e vire as bordas como na foto. Passe uma costura zigue-zague miudinha, para fixar a dobra e evitar que desfie.

Com a sobra do tecido, corte um triângulo pequeno. Passe uma costura em zigue-zague nele e coloque na base do bolso, assim:

Não é a coisa mais bonita do mundo, mas é uma técnica historicamente correta 😉

PASSO 3- CANALETAS

Se você seguir as marcações do molde da parte 1 desse tutorial, cada linha riscada corresponde ao fundo da sua canaleta, assim:

Alfinete as canaletas no lugar, mas ainda não costure.

PASSO 4- ACABAMENTO DAS LATERAIS

É possível fazer o panier todo na máquina de costura, mas minha experiência assim foi péssima. De todas as técnicas que experimentei, a melhor foi finalizando as laterais à mão. Estou mostrando esse método, mas, claro, você pode e deve testar e descobrir o que se adapta melhor a você!

Nas laterais do panier, faça uma pequena bainha e passe uma costura reta nela. Essa bainha vai dobrar por cima da ponta das canaletas e é exatamente isso que nós queremos!

PASSO 5- FIXANDO AS CANALETAS

Costure as canaletas bem próximas da borda, com uma tensão considerável na linha. Essas costuras são as que sofrem o maior stress na peça e precisam ser reforçadas. Mas não costure a canaleta inteira. De um dos lados, deixe uma parte do final da canaleta aberta uns 7cm, o que é suficiente para passar a barbatana. Se você estiver usando mangueira, precisa fazer canaletas bem mais largas e deixar uma abertura maior 😉

No final desses cinco passos, você terá uma peça assim:

PASSO 6 – PREGUEADO

Para dar o formato bonitinho do panier, precisamos preguear o topo dele. Então, cada lado da abertura do bolso precisa ser reduzido para 12cm (essa medida é meio que padrão, mas pode variar até 15cm). Eu esqueci de fotografar esse passo, mas vou mostrar como ficam a pregas:

Você pode fazer franzido, mas as pregas ajudam a direcionar corretamente a tensão do tecido e manter as barbatanas na posição adequada.

Depois de marcar as pregas eu gosto de passar um costura de alinhavo só para não ficar me espetando nos alfinetes, porque só vamos fixar o cós depois.

PASSO 7 – LATERAL INTERNA

No retângulo “LATERAL”, faça a mesma bainha estreita do corpo do panier em três lados. O lado que não tiver a bainha deve ficar para o fundo.

PASSO 8 – FECHANDO O PANIER

Aqui é que entra a costura de mão. Una a lateral ao corpo do panier usando um ponto espiral bem miúdo e apertado. Usar uma linha mais grossa, de pesponto ou até de estofamento pode ser uma boa ideia aqui. Lubrificar a linha com cera de abelha também ajuda a fortalecer o fio e aumentar a vida útil da costura.

Na sequência, já costure o fundo, tomando o cuidado de alinhar bem os cantinhos. Costure dos cantos para o centro da curva e, se houve sobra de tecido do fundo, pregueie para encaixar. Quanto mais próximas do centro do panier ficarem essas pregas melhor.

PASSO 9 – CÓS

Você tem duas opções para o cós: fixo ou regulável. No caso de um cós fixo, ele fecha na frente com um botão. Mas o método mais comum é você fazer um cós pequeno para cada lado do panier sem costuras as pontas, para passar um cordão ou fita. Assim o panier se torna regulável para vários tamanhos de cintura, o que é muito bom quem trabalha com produção ou aluguel de figurinos:

PASSO 10 – FITAS DE ESTABILIZAÇÃO

As fitas de fixação não costumam aparecer nos paniers modernos que achamos por aí, mas eles sempre estão presentes nos paniers originais e por uma razão: eles ajudam absurdamente na estabilização da peça. São necessários três pares de fitas para cada lado do panier, sendo que as fitas das costas precisam ser mais longas por motivos de, bem, bumbum.

Costura as fitas ao panier na mesma alturas das canaletas.

Este é o panier da Eneida, feito com esse mesmo tutorial 😉

PASSO 11 – BARBATANAS

Com todo o cuidado, passe as barbatanas pelas canaletas e feche a abertura das canaletas à mão. É importante que as barbatanas tenham pontas arredondadas e alguma proteção nelas (tips metálicos ou fita adesiva mesmo), só para não rasgar o tecido.

O RESULTADO

Depois de passadas as barbatanas, seu panier vai ficar assim por dentro:

E no final do processo você terá duas anquinhas adoráveis para chamar de suas:

REFERÊNCIAS

WAUGH, Nora. Corsets & Crinolines [https://amzn.to/2BnJgMp]

Comentários

1 comentário em “Tutorial: Anquinhas / Petit Panier (1750-1775)”

  1. Pingback: Glossário: Robe a l’Anglaise – TRAJE BRASILIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *